Buscar
  • Chef Cleide Wachholz

Quanto devo cobrar?


Calcular custos normalmente é uma missão que muitas confeiteiras desistem só de pensar em fazer. Porém saber quanto exatamente se está lucrando em um negócio é ponto de partida para que ele consiga evoluir e crescer.

Se você não tem o hábito de fazer a precificação correta do seu produto, já deve ter tido a sensação de trabalhar muito, mas não ter dinheiro. Isso acontece quando não fazemos ideia do quanto gastamos e quanto realmente está entrando no nosso bolso e na nossa empresa.

Precificação é necessária para todas as pessoas que querem vender algo! Então não desista dessa leitura, e siga os passos para você aprender, de uma vez por todas, a precificar seu produto de forma correta.

Primeiramente deve ficar claro os tipos de custos que temos ao produzir algo. Eles são divididos de duas formas; custos fixos e custos variáveis.

Os custos ou despesas fixas, são valores que não alteram, que serão cobrados todos os meses independente do seu negócio teve ou não um bom desempenho de vendas. Se você produzir pouco ou muito, terá esses mesmos custos ao final do mês. Alguns exemplos: aluguel, internet, mão de obra.

Os custos ou despesas variáveis são aqueles que alteram conforme a produtividade do negócio, cada mês terão valores diferentes, conforme o desempenho da sua empresa. Por exemplo: luz, água, gás, matéria-prima.

Conhecer e detalhar esses gastos são primordiais para uma precificação adequada, para em um momento de necessidade de corte de despesas, você saber onde possui maior gasto e como poder diminuir os custos.

Então vamos lá, após feito esse levantamento dos custos fixos e variáveis por mês, você deve dividi-lo pelos dias ou pelas horas trabalhadas por mês. Assim, conseguirá incluí-lo de forma adequada na precificação de cada produto.

O valor de custo do seu produto é o resultado na soma dos custos com insumos+ custos fixos+ custos variáveis + mão de obra para executar aquele produto. Você deve lembrar de dividir esse custo pelo número de unidades do produto que você pretende vender, você precisa saber o rendimento da sua receita, além do custo dela. Por fim, você vai adicionar o lucro que espera receber por aquele produto e terá seu valor de venda.

Antes de definir sua margem de lucro é importante avaliar por quanto seus concorrentes estão vendendo produtos similares e observar sempre, se seu produto possui algum diferencial que justifique ter outro preço.

Lembre-se sempre de fazer análise de preços e custos com frequência, para ajustar à realidade do mercado e dos gastos que você realmente tem.

Não esqueça de avaliar bem qual diferencial seu produto pode ter, para conseguir agregar um lucro maior e ter mais potencial competitivo no mercado. Conhecer os custos e as despesas ajuda as empresas a melhorarem os preços e, consequentemente, a margem de contribuição, tendo portanto, lucro com as vendas dos produtos.

Cadastre-se aqui em nosso blog e receba uma tabela de custos super prática para te ajudar a tornar sua precificação muito mais fácil.



54 visualizações

© 2016 por SW Gastronomia.